Eu estou acompanhando o BBB 17 - e torcendo pela Vivian | Desconstrução #5




Por Wes Talaveira


A TV aberta brasileira é hoje o "bode expiatório" dos que tentam passar a imagem de intelectuais não consumidores de produtos feitos para as massas. E, de todos os programas da TV aberta hoje, poucos encarnam tão bem esse rótulo de "lixo televisivo" como o Big Brother Brasil da TV Globo, a versão brasileira do Big Brother, reallity show produzido e vendido no mundo inteiro pela Endemol, um dos principais nomes do mercado televisivo do mundo. O nome, inspirado no personagem do livro 1984 de George Owen, remete ao fato de o apresentador do programa ser o único contato dos membros da casa com o mundo externo. Confinados juntos por cerca de três meses sem qualquer contato exterior, cerca de 15 pessoas são vigiadas 24 horas por câmeras instaladas por todos os lados. Semanalmente um dos membros são eliminados pelo público, que vota de acordo com seus critérios. 


O BBB nunca me chamou a atenção. Nem tanto pelas críticas ferozes que os pensadores da internet costumam fazer. Não gosto de entrar nesse tipo de discussão de pessoas que criticam programa A ou B para se mostrarem diferenciados. Nunca assisti porque nunca me considerei - e nem me considero - público alvo do programa. 

Mas esse ano, no meio dessa fase de desconstrução que ando vivendo, resolvi parar outro dia para assistir o programa. Por que queria aprender algo, enriquecer minha bagagem cultural? Não, só pra me entreter um pouco, pra esvazias a cabeça depois de um dia cansativo. Estava cedo pra ir dormir mas não daria tempo de assistir qualquer outra coisa na Netflix, e eu estava com preguiça de levantar pra pegar o controle remoto, então deixei a TV onde estava. Só por isso. Assisti, achei interessante algumas coisas e até me simpatizei com uma garota da casa, a Vivian. Por que ela é diferente de todas as outras, por ser mais autêntica, mais inteligente? Não, só por ser a mais bonita, mesmo. O sotaque amazonense dela me chamou a atenção. Apenas isso. 

Vivian, participante do BBB 17
Algum crime?

Aqui mesmo no blog já tive a oportunidade de entrevistar uma ex-BBB, a Ana Carolina Madeira, em 2009 (a conversa por telefone durou quase 2 horas), e ná época ela mesma falou que o que leva as pessoas a acompanharem programas como o BBB é a curiosidade que nos move em saber da vida do outro. "Todos somos um pouco voyer", disse ela. 

Talvez por esse mesmo motivo tenho de assumir que parei pra assistir no dia seguinte. Quis saber como a Vivian se comportaria nos outros dias. Quis acompanhar a guerra silenciosa e amistosa entre ela e a Emily - que apesar do lindo sotaque gaúcho não venceu minha predileção pela Vivian. 

Os motivos pra assistir o BBB são tão banais quanto o próprio programa. E mesmo assim eu assisto. Por que? Ninguém precisa estar o tempo todo procurando cultura, conteúdo rico e educativo para consumir, até porque isso seria de uma chatice colossal. Tem horas que eu quero consumir cultura, coisas que me façam pensar. Tem horas que quero apenas olhar algo na TV antes de dormir. Simples demais? Mas é simples, sim. Nós é que complicamos. 

Curioso que os mesmos que gritam contra o BBB por não ser um "programa enriquecedor" são os que se entopem de fast food e comida industrializada. A comparação é meio estranha, mas a lógica é a mesma. Qual a quantidade de nutrientes para sua saúde um Big Mc oferece? Quase nenhuma. E mesmo assim você. Por que? Porque as vezes dá vontade de comer um "traste food". Simples. 

Ou, numa comparação mais lógica, os mesmos que gritam contra programas do tipo do BBB são os que dançaram "meu fechamento é você, mozão" no carnaval. O MC G15 tinha a intenção de contribuir com a formação cultural da humanidade quando escreveu isso? Não. Algum problema nisso? Também não. Porque músicas assim não tem o objetivo de te levar a refletir sobre nada. São músicas pra entreter. 

O BBB serve a esse propósito: entreter. Se você souber dosar bem a quantidade do que consome, dá pra consumir BBB e TV Cultura. É só saber assistir. Por exemplo: eu jamais na vida gastaria meu dinheiro ligando pra votar em alguém do BBB num paredão. 

Nem na Vivian!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com