Pare de falar no Bolsonaro | Opinião #73

Essa deve ser a reação do Bolsonaro ao ler todas as críticas feitas a ele na internet


Wes Talaveira


Tudo o que Jair Bolsonaro quer é que você fale nele. 

Sim, ele faz de tudo pra virar mídia. Desde que o CQC prestou a ele o favor de fazê-lo conhecido nacionalmente, todas as ações dele tem como intenção virar mídia. E ele sabe muito bem que a polêmica é uma ótima forma de fazer a pessoas comentarem sobre ele. Então ele age de forma polêmica. Critica gays publicamente, chama deputado de veado, homenageia torturador e por aí vai. 

Mas e os protestos contra ele na internet? Não tem nenhum reflexo negativo sobre a imagem dele?

Muito pouco, quase nenhum. 

Quem não vota em Bolsonaro não precisa de protesto de internet para continuar não votando. Simplesmente não concorda com a personalidade dele e procura outro nome para votar. Agora, quem nem sabia que ele existia mas que poderia ser um virtual eleitor, acaba conhecendo o nome dele por meio dos protestos. Exemplo: um gay publica no Facebook uma imagem de Bolsonaro comparada a de Hitler - que eu já vi mais de vinte vezes em uma semana. Uma pessoa que é contra a homossexualidade vê um gay protestando contra o Bolsonaro e vai procurar mais informações sobre ele, pois já que um gay falou contra o sujeito é porque ele deve ser contra gays, e eu também sou, então preciso conhece-lo. E assim, sem querer, o movimento LGBT e tantos outros que gastam tempo e energia malhando o Bolsonaro na internet acabam fazendo propaganda gratuita para ele. 

E ele sabe disso. E adora isso. 

Ele adoraria, por exemplo, saber que dedicamos um post nesse blog exclusivamente para falar dele. 

Porque ele sabe de uma máxima que muitos ignoram: você até pode falar mal hoje e colocar a opinião pública contra a pessoa, mas no futuro as pessoas vão esquecer os aspectos negativos dessa pessoa, mas ainda não continuar lembrando do nome dela. Aí pra limpar a imagem dessa pessoa basta um bom trabalho de Marketing. 

Foi o que o Collor fez. E com isso já está no segundo mandato no Senado. 

Por isso Bolsonaro provoca o tempo todo. Ele sabe que os provocados vão reagir com barulho. E quanto mais barulho, mais gente o conhece. 

Então, a melhor forma de protestar contra o Bolsonaro é exatamente não fazendo nada. 

Pare de publicar nas redes sociais coisas sobre ele. 

Pare de reagir às falas absurdas dele. 

Ignore a existência dele. 

Trate-o como você trata qualquer deputado do baixo clero da Câmara. Dê a ele a atenção que você dá ao deputado Genecias Coronha. "Mas quem é Genecias Coronha?". Então...

Não acho que Bolsonaro vá se candidatar realmente à presidência em 2018. Ele sabe que seus apoiadores, embora barulhentos, são poucos, e não tem a menor força para levá-lo ao Planalto. E ele é o tipo de político que não aceitaria concorrer a um cargo sem ter a certeza de vencer. Por que a intenção dele não é usar a política como meio de transformação. Ele precisa apenas de um mandato para estar na mídia. E a Câmara é o lugar perfeito pra isso: o Brasil presta pouca atenção em 95% do que acontece por lá, então qualquer mané que falar uma coisa um pouco mais absurda ganha espaço na mídia e na internet. Bingo! 

Repetindo, pra concluir: pare de falar no Bolsonaro. Deixe-o falar sozinho. Gaste sua internet pra outras coisas que não o envolvam. Até porque, se limitarem mesmo a internet você vai precisar repensar o tempo que passa nela, e vai precisar deixar de fazer muita coisa que hoje faz à vontade. 

Comece deixando de falar no Bolsonaro. 


***


Wes Talaveira é publicitário, social media e mora em SP 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com