Onde Está Deus?




Algumas vezes as pessoas me perguntam se eu acredito em deus. Respondo que sim, acredito, mas depende: de qual deus estamos falando? 

Não creio no deus de porte europeu de barba e cabelos brancos longos, sentado num trono grande e branco, rodeado de anjos tocando harpa que o bajulam dia e noite. Não creio no deus "controlador de voo", que sabe o que se passa em cada parte do mundo, e está atento a cada passo até mesmo da mais imperceptível das pessoas. Não creio no deus poderoso, vingativo, que mata e fere para justificar os que se dizem seus fieis. Não creio no deus rígido, que lança em algum inferno quem não obedece suas regras, por vezes ridículas. Muito menos acredito que ele esteja num paraíso perfeito, num ceu com ruas de ouro e cristal, cheio de jardins bonitos e pássaros que cantam. 

Creio sim em deus. Mas creio em deus como a motivação que me faz sair da cama todos os dias de manhã e enfrentar o trânsito caótico de uma grande cidade para um dia de trabalho cansativo. Para mim deus é a sensação boa que sinto quando ouço uma música que gosto, quando leio o melhor livro da minha vida, ou quando assisto uma boa peça de teatro. Deus é o bem estar causado por um bom banho depois de um dia cansativo. Deus é a risada descontrolada da mesa de bar do happy hour com os amigos. É o ambiente aconchegante da casa dos avós. Deus é o “parabéns” emocionado que você recebe de seus pais ao conquistar uma vaga na faculdade ou um novo emprego. É a sensação de realização causada pela vitória da equipe da qual você participa. É ouvir “papai” pela primeira vez. É o êxtase que se sente após uma apresentação bem sucedida. É conseguir finalmente, algo com que você sonhava tanto. 

E onde ele está? Deus está no olhar de um apaixonado ao encontrar sua amada. No sorriso sincero e alegre de uma criança ao receber um presente. Deus está no abraço de amigos que não se viam há muito tempo. Deus está na música cantada ao redor do fogo pelos amigos que curtem um fim de semana prolongado. Na alegria do meu cachorro ao me ver chegar em casa. Está no rosto da pessoa desconhecida, de quem não conheço sequer o nome, mas sei que é muito mais do que aquilo que vejo. Deus está no pão que sacia a fome do morador de rua, depois de horas sem algo para comer. Está no copo de água que refresca o calor do que trabalha o dia inteiro sob o sol. Está na cadeira em que se senta a pessoa que passou o dia em pé. Está no silêncio confortante de quem passa consegue escapar de um ambiente com barulho ensurdecedor.

Se quiser encontrar deus não olhe para cima, muito menos feche os olhos. Olhe pra frente. Mire. Olhe nos olhos dos outros. Deus é gente. 

Deus é o que te faz bem. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Gostosa

Eu prometo

Prêmio de Consolação