#Opinião Desinformados, despolitizados ou mal informados.



Ano de eleição é sempre assim: PT e PSDB se digladiam e disputam quem gosta mais ou menos de pobre, quem trabalhou mais ou menos pelos "menos favorecidos", quem é o candidato dos ricos e dos bancos, quem teve a origem mais humilde, quem é o mais religioso e por aí vai. Independente de quem seja o candidato, a estratégia sempre vai ser essa. 

A briga da vez tem raiz numa entrevista dada pelo ex-presidente FHC aos blogueiros Josias de Souza e Mário Magalhães onde, entre vários outros trechos bastante interessantes e lúcidos,  o presidente conclui que "o PT cresceu nos grotões porque tem os votos dos menos informados". Pronto, o circo estava armado para o petismo iniciar sua série de ataques de baixíssimo nível, associando - como sempre - o ex-presidente e o PSDB aos "ricos". Como sempre fazem, tiraram uma frase de seu contexto para atacar e criar novamente uma briga ridícula que não leva a lugar nenhum - alguns petistas já organizaram inclusive o "churrascão da gente desinformada"... tsc tsc. 

Acontece que FHC tem razão. Pelo menos em partes. O PT sabe que dialogar com pessoas esclarecidas é, sempre foi e sempre será uma pedra no sapato do partido. É difícil a um petista clássico explicar os rumos do partido a uma pessoa politizada, envolvida com assuntos políticos e informada sobre os bastidores do Governo. Mais difícil ainda é confrontar o momento atual do partido com sua história. 

O PT prefere, então, buscar votos em lugares com pessoas menos escolarizadas e menos politizadas, onde sabem que sempre será mais fácil convencer com argumentos sentimentais - nós cuidamos dos pobres, nós tiramos não sei quantos milhões da pobreza e por aí vai. 

Acontece que nem sempre uma pessoa com pouca escolaridade é uma pessoa desinformada. E nem sempre uma pessoa escolarizada, com superior e o raio que o parta é uma pessoa informada. Conheço bachareis ignorantes e não alfabetizados de uma lucidez incrível. O problema do brasileiro, na minha modestíssima opinião, não é a falta de informação. É a falta de politização. E é nessas pessoas que o PT finca suas raízes. 

O Brasil é um país completamente despolitizado. O brasileiro não dá a mínima para a política, não sabe sequer como funciona a divisão de poderes no país. Quer uma prova? Saia agora na rua - se não for tarde, claro - e pergunte para o primeiro que você encontrar se ele sabe a diferença entre as atribuições do prefeito e do governador do Estado. Se a pessoa se mostrar receptiva, continue o papo e pergunte se ele sabe o que faz um Senador da República. Se ele continuar receptivo, prossiga perguntando se ele sabe a diferença entre Legislativo, Executivo e Judiciário. Se a conversa render, pergunte a ele a diferença entre governo municipal, estadual e federal. Sim, você irá se decepcionar. 

Somos um povo que vota sem saber qual será a função do votado. Aliás, votamos e no dia seguinte sequer lembramos o nome de quem recebeu nosso voto. Temos muito o que reclamar, mas não sabemos a quem, e vivemos de reclamar pelas ruas e bairros, sem sermos ouvidos, porque não sabemos qual esfera devemos procurar, exatamente porque não sabemos essa diferença entre as esferas do poder - os protestos do ano passado deixaram isso muito claro, quando víamos pessoas reclamando com o Governador do Estado a má qualidade do transporte público municipal. Não sabemos o nome do vice-qualquer coisa, não sabemos quem são os suplentes dos que votamos e nem se a pessoa em quem votamos ficou no mandato até o final, se se manteve no mesmo partido. Aliás, partidos políticos são outra prova da nossa despolitização. Temos no Brasil hoje 31 partidos políticos. Se a mesma pessoa com quem você estiver conversando ainda não tiver te colocado pra correr, pergunte a ela de quantos partidos políticos ela lembra o nome. Aposto qualquer coisa que ela irá te dizer PT, talvez PSDB e numa possibilidade remota o PMDB. Mais do que isso é praticamente impossível! 

Sim, é nesses despolitizados que o PT encontra terremo fértil pra fincar suas raízes, pois são pessoas que sequer sabem a que o fulano está concorrendo, mas desde que seja do PT merece o voto. E digo mais: é do interesse do PT que o Brasil continue despolitizado assim, do contrário os paulistas saberiam que sua senadora Marta Suplicy deixou o cargo para assumir o Ministério da Cultura e colocou em seu lugar um poste chamado Antônio Carlos Rodrigues, candidato a tudo em SP que vive de se eleger e colocar suplentes em seu lugar, e que está no Senado sem receber um único voto. E esse é apenas UM dos vários exemplos que teríamos para dar.

Então discordo em partes de FHC. Concordo que o PT foge do debate ao máximo possível, mas não para se abrigar apenas entre os desinformados, mas principalmente entre os que, como Eduardo Jorge, pensam que "não tem nada a ver com isso".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com