Direita X Esquerda e a nova massa de "politizados" brasileiros

Fonte: Humor Político 

Estamos em meio à memória de 50 anos da Ditadura Militar, que governou o Brasil por 21 anos com mão de ferro. Então é mais do que normal que sentimentos da época voltem à tona, ainda mais com a TV explorando o tempo todo o período da Ditadura como um tempo sanguinário em que coitados inocentes cheios de boa intenção sofreram nas mãos de carrascos crueis. Sim, a parte dos carrascos crueis é verdade e é verdade também que muita gente torturada não tinha o menor envolvimento com política. Porém, como em qualquer outra área, o exagero é sempre um erro que nos leva para a ponta de um ponto de vista, sem observar o outro lado. 

É o que temos visto atualmente no Brasil. A nova modinha entre os internautas brasileiros é se posicionar como "esquerda ou direita". Termos como "nazistas", "fascistas", "nazi-facistas", "burgueses", "bolcheviques" e outros são repetidos aos milhões em coro todos os dias nas redes sociais por gente que sequer sabem o significado dessas palavras acima, e que nunca leram nada sobre o Nazismo. Repetem porque ouviram alguém aparentemente inteligente falando. É o famoso comportamento de boiada, agora repaginado: se um critica a Sheherazade, todo mundo vai atrás - até o Boechat, quem diria! Se um critica a Copa, todo mundo também critica. Se um diz que o PT é culpado de tudo, todo mundo joga a culpa no PT. Se um diz que tucano é de direita, todo mundo chama tucano de direitista. Se a "TV Revolta" publicou um vídeo legalzinho no Youtube mostrando "o que os políticos não querem deixar você saber", todo mundo repassa em suas redes sociais como se aquilo fosse a verdade suprema, claro que sem buscar saber se o conteúdo é verdadeiro ou não. "Ah, deve ser verdade, porque parece verdade, então eu acredito que é verdade e digo a todos que isso é verdade porque a TV Revolta disse que é verdade". É a versão política do pezinho de carambola do Chaves. E assim montamos nossa consciência política, baseada em reportagens da revista Veja ou em "matérias" do CQC com políticos em Brasilia, e em vídeos ou imagens cheias de conteúdo raivoso publicadas no Facebook e compartilhadas por milhões de "engajados". Sim, essa é a nova massa dos politizados brasileiros. Gente que nunca estudou qualquer coisa sobre política, sobre a história da política no mundo, sobre os conceitos de Direita e Esquerda, que nunca buscou saber as diferenças entre o liberalismo e o socialismo - aliás, gente que sequer sabe o que é liberalismo, nunca leu sobre as democracias ao redor do mundo, nunca leu sobre as ditaduras comunistas, sobre a força da religião sobre o pensamento político ao redor do mundo, sobre a Guerra Fria (o melhor exemplo de guerra ideológica política levada às últimas consequências). Gente que sabe sobre política o mesmo que sabe sobre a vida sexual dos ursos pandas do Ártico, mas gosta de chamar a Sheherazade de "fascista" ou a Globo de "vênus platinada" pra posar na internet como "politizado". Podemos dizer que os novos politizados da internet brasileira são como os que se declaram fãs da Clarice Lispector, mesmo sem nunca ter lido nenhum dos livros dela. 

Isso pode ser bom? Sim, se servir como motivação para despertar nos jovens brasileiros a curiosidade e o interesse pela política. A partir do momento em que os jovens desejam o engajamento,desejam se envolver com alguma coisa que faça realmente alguma diferença, consequentemente começam a pesquisar mais sobre o assunto. Desde que pesquisem todos os lados da história com a cabeça aberta, livre de preconceitos e estereótipos formados pelas redes sociais, e só formem opinião depois de conhecer a fundo o que cada lado diz, isso é sim, muito positivo.

Mas há um lado perigoso nisso. A falta de informação e de conhecimento base pode nos levar a erros imbecis, como os que pedem a volta da Ditadura, sob o argumento de que "no tempo dos Militares não tinha corrupção", ou os que vivem de elogiar as "democracias" cubana e venezuelana. Os que vivem de afanar países socialistas se esquecem que algumas das maiores ditaduras do mundo foram de esquerda, como a URSS e seu bloco gigantesco que levou metade da Europa ao fracasso econômico, fracasso esse até hoje ainda não recuperado por vários países como Ucrânia, Sérvia e Bósnia (Sarajevo ainda hoje é uma cidade que tenta se reconstruir depois do desastre da URSS).

Não, não há espaço no mundo atual pra divisões bobas entre Esquerda e Direita. A Esquerda já não é mais tão esquerda, pelo menos a Esquerda comprometida com sua ideologia, que reconhece que vários conceitos marxistas só dão certo no papel, e a Direita já não é mais tão direita - a crise econômica dos últimos anos e os extremismos direitistas europeus são prova disso.

Alguns conceitos da Direita e Esquerda ainda permanecem presentes ativamente em nosso dia a dia, e quem se envolve um pouco mais com o assunto percebe isso, mas dividir o mundo entre "nós" contra "eles" é uma forma pequena e até mesmo perigosa de ver o mundo. Quando fechamos as pessoas em rótulos corremos o risco de taxar como inimigos os que pensam diferente, e por vezes nos pegamos falando asneiras como "extirpar" o outro, coo se disse há uns anos atrás.

Maturidade política é ter sua própria ideologia, mas estar ciente que algo em suas convicções pode sim, estar errado, e que pode sim haver coisas boas no pensamento do outro. Antagonismos sim, rivalidades e guerras, não, Por favor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com