Fernanda Takai - Ben

Que me perdoem os fãs de Michael Jackson, mas esse é mais um daqueles casos em que a regravação fica melhor que o original. Isso tem uma explicação: é a Fernanda Takai. Ela tem o dom de transformar qualquer música em obra de arte. Não que Michael não seja, mas na voz dela Ben ganhou uma outra roupagem. Pra mim ficou melhor. 


Mulheres com Novas Ideias 2012: o saldo final de tudo #Mulheres2012



Olá, leitores.

Encerramos hoje mais uma edição da Semana especial Mulheres com Novas Ideias #Mulheres2012, que pela terceira vez abriu espaço para que mulheres, blogueiras ou não, pudessem dar aqui seu ponto de vista, sua opinião sobre diversos assuntos.

Nesse ano nossa Semana teve um tema específico: "As mulheres vão dominar o mundo?" e posso dizer com certeza que esse ano tivemos a Semana mais produtiva de todas. Não desmerecendo as duas edições anteriores (se você ainda não viu veja aqui a Semana de 2010 e aqui a Semana de 2011) que também foram ótimas, mas a edição de 2012, talvez pelo fato de ter um tema único, contou com material rico em conteúdo, além da dedicação das nossas convidadas que reservaram alguns minutos do seu dia para preparar seus textos. O resultado foi surpreendente! 

Para abrir a Semana a cantora gaúcha Lara Rossato falou um pouco de si, sua carreira como cantora e dos obstáculos que teve de vencer para se tornar o que é hoje: uma referência do cenário musical gaúcho. No texto seguinte a estudante de direito Larissa Oliveira falou de Kyra Gracie, a lutadora de Jiu Jitsu que venceu o preconceito dentro da própria família e se tornou hoje a maior lutadora do mundo. Tivemos ainda a participação da blogueira Herlene Santos, que escreveu um belíssimo poema sobre o que é ser mulher. A blogueira maranhense Jannah Oliveira falou sobre o que as mulheres tiveram de enfrentar ao longo da história pra conquistar o espaço que conquistaram hoje. A gaúcha Mia Sodré falou aqui sobre a importância da figura feminina na sociedade e como ela nem sempre foi vista assim. A jornalista alemã Liesel Hoffmann - que participou de todas as edições da Semana especial - nos trouxe um resumo sobre a vida de Angela Merkel, a mulher de pulso firme que está por trás da poderosa Alemanha. E para encerrar tivemos uma participação muito especial: a jornalista Rosângela Cianci, da TV Unisa e da revista Classe A nos deu o provilégio da participação com um texto sensacional onde destacou o quanto as mulheres ja cresceram e o quanto ainda podem crescer e ganhar espaço no mundo.

Enfim a Semana Mulheres com Novas Ideias de 2012 foi riquíssima em conteúdo, em participações especiais, além de ter batido recorde de visitas no blog. Só temos a comemorar! É muito bom saber que aida existem pessoas que querem ser conhecidas pela sua inteligência!

Obrigado a todas as participantes! E até o ano que vem!

As mulheres estão (quase) dominando o planeta #Mulheres2012



Por Rosângela Cianci

Diariamente sabemos de mulheres que inspiram outras com exemplos intensos e arrebatadores. Diversidade, força, determinação, criatividade, realização de sonhos, uma energia contagiante que chamam a atenção pelos arredores da Terra.

E assim, a cada ano que passa, temos cada vez mais certeza de que as mulheres do Brasil e do mundo estão (quase) dominando o Planeta. Elas sonham, buscam, realizam,e, surpreendem.

Sim!!! A força de uma mulher que sonha não tem limites. Durante séculos, ela vem provando cada vez mais que está disposta a conquistar seu espaço, custe o que custar e, tem evoluído, tem aprimorado seu caminho, superado obstáculos com um jeitinho todo especial aqui e ali e aos poucos vai provando o que é realmente especial dentro de um leque bem amplo: atuar com a família, o marido, os desafios da maternidade, se sobressair no trabalho, manter vínculos sólidos com as amigas, ter qualidade de vida, cuidar de si mesma, curtir as novidades, afinal, um pouquinho de vaidade não faz mal a ninguém...

Apesar das muitas conquistas durante séculos, há ainda muita desigualdade com os homens, principalmente no quesito financeiro. Qual a maior motivação do sexo feminino? Afinal, o que move as mulheres ao ponto de fazê-las não desistir nunca de seus ideais? É pura energia em movimento, parece que há uma forte consciência em “conduzir, talvez”, realizar sua missão e não se perder nessa existência – pelo menos é o que parece. Ela está sempre seguindo seu caminho com foco e estratégias para um avanço na conquista de valores e harmonia ainda desconhecidas. E isso - repito, no mundo inteiro.

As mulheres tem se destacado em profissões incríveis que antes eram departamento apenas dos homens. Elas saem, às vezes bem cedo, de dentro de suas casas para enfrentar, conquistar e - dominar o mundo, mesmo aos poucos: na política, como “chefes de baton” em cargos de presidentas, inclusive, já podemos nos dar ao luxo de ter uma, embaixadoras que transitam por aí afora contrariando alguns machistas, executivas de grandes empresas, comandante de vôos, – que fazem “piruetas” no ar e cada movimento é muito ensaiado, motoristas de ônibus, de trem, pilotos de carro na velocidade máxima entre outros pilotos homens e motores barulhentos, de corridas de cavalo que ganharam novo brilho na profissão de joqueta,... Elas fazem arte, pesca profissional, dançam, cantam (e encantam), são médicas, advogadas, engenheiras, jornalistas, vendedoras, empresárias, e muitas outras tarefas. Superam-se em meio a deslizes e mantem uma meta constante e vitoriosa.

A mulher moderna, inclusive donas de casa, que optam por esta faceta do universo feminino, exalam seu brilho interior em toda a sua plenitude. Uma pitada de intuição e raciocínio aqui, paixão e amor na dupla e tripla jornada ali... Ela é tão simples, e, às vezes tão enigmática. Multifuncional. Ser mulher é um dom, uma benção, uma forma única de enxergar a vida mesmo após um longo dia de trabalho. É provado que as mulheres conseguem fazer muitas coisas ao mesmo tempo, afinal isso é tudo que se pode esperar de um cargo, principalmente de chefia. No final do século passado, mais precisamente a partir dos anos 60, estudiosos apontaram um novo rumo na humanidade por parte dos casais. Interessante que alguns maridos ou companheiros conseguem ajudar sua mulher, e isso até que contribui para deixar o casal mais unido. Eles dividem praticamente todas as tarefas domésticas quando ela trabalha fora e tem que chegar em casa, fazer comida, administrar o lar, cuidar dos filhos, do próprio marido (aqueles que não cresceram o suficiente) e assim fica bem mais fácil para que ela progrida e ambos cresçam em seus sonhos. Se ela encontrar esse parceiro na divisão do amor e dos trabalhos a serem realizados, se ela não for confundidaa com uma empregada particular para fazer as coisas só para ele e todo o clã - incluindo tudo que envolve a moradia, "ótimo!", ela só terá cada vez mais chances de progredir. O número de divórcios no Brasil aumenta cada vez mais, porque falta compreensão masculina e as mulheres não aceitam mais essa condição machista de cuidar da casa e dos filhos sózinha, enquanto o homem apenas trabalha para levar (parte) o sustento. Elas querem mais. Elas merecem mais! Bom, mas esse é um outro tema...

E eis que surge o “Dia Internacional da Mulher”, um feriado mundial para falar de nós mulheres. Por que é importante salientar esse feriado mundial? Não por que as mulheres queiram ser iguais aos homens, mas porque somos diferentes e precisamos de condições diferentes para nos realizarmos e também para lembrar disso seriam necessários muitos dias da mulher num ano! Poderia ficar um tempão aqui, falando sobre a emancipação da mulher, suas conquistas (e devaneios) e muitos outros temas admiráveis relacionados a elas, de muitas que nem tomamos conhecimento. Ainda falta melhorar na África, na Ásia, no Brasil, muitas partes do mundo. Mas as coisas continuarão mudando para melhor, as mulheres continuarão avançando, crescendo até dominarem o mundo por completo. Hoje é um bom dia para pensarmos onde já chegamos e o que mais queremos alcançar! Parabéns para todas nós mulheres em expansão, pois a luta continua.

“Mulher Virtuosa, quem a achará? O seu valor excede o de finas joias.” – Provérbios do Rei Salomão



Rosângela Cianci, mineira, é jornalista formada pela UNISA - Universidade de Santo Amaro e apresenta o programa Informe-se na TV Unisa / CNU. É também colunista da revista Classe A e mantém o blog Emporium de Ideias.

Blog Emporium de Ideias: http://emporiumdeideias.blogspot.com/

Angela Merkel: a mulher mais poderosa do mundo #Mulheres2012


Por Liesel Hoffmann


Não sei se tem alguma lista da Times que comprova isso, mas qualquer lista é desnecessária: os fatos comprovam: Angela Merkel é a mulher mais poderosa do mundo, hoje.

Primeira-ministra alemã, 57 anos, casada e sem filhos, Angela vem se mostrando dia após dia como uma das principais lideranças mundiais, principalmente em meio a crise econômica que vem fazendo países como vítima em toda a Europa. Colocando a Alemanha na dianteira das soluções para a crise europeia, Angela mostra que tem pulso firme para tomar decisões e que sabe o que é melhor para outros países que se encontram perdidos em meio a um mundo de dívidas intermináveis, como a Grécia.

É filha de um casal de pastores luteranos de Hamburgo, que logo trocaram a cidade pela Alemanha Oriental comunista, onde religiosos não eram bem vistos. A família de Angela nunca foi igual às do leste. Eles recebiam correspondências e pacotes do lado oeste. Por isso, ao contrário de outras meninas, Angela usava jeans e dispunha de confortos que seus vizinhos não podiam se permitir. Outra grande mudança em sua vida foi a construção do Muro de Berlim, em 13 de agosto de 1961. Com a contrução da barreira, acabaram-se as viagens para Hamburgo e as visitas aos familiares deixados lá.

Os biógrafos a retratam como uma aluna aplicada, a primeira da classe, sem ser competitiva. Não há uma unanimidade sobre seu pai, que se manteve entre a crítica e a adaptação ao regime e que pode ter tido uma curta relação com a Stasi (serviços secretos da RDA).

Aos 23 anos, casou-se com Ulrich Merkel, um colega de estudos. O casamento "simplesmente ocorreu porque todos faziam isso na época", disse uma vez Angela, que não teve filhos. Divorciou-se cinco anos depois e, aos 32 anos, complementou seu currículo acadêmico com um doutorado em Física, em cuja tese ela agradece a Joachim Sauer, seu atual marido. Em fevereiro de 1990, Merkel deixou a Física de lado e entrou na CDU. Depois, se tornou porta-voz do último primeiro-ministro da Alemanha Oriental, Lothar de Maiziere. Mais tarde, Helmut Kohl fez dela sua ministra para a Mulher e a Juventude, em 1991. Deu-lhe uma das vice-presidências da CDU e depois a transferiu para a pasta dO Meio Ambiente, em 1994.

Com a derrota de Kohl, em 1998, Merkel assumiu a secretaria-geral do partido, com Wolgang Schaeuble, o eterno herdeiro do patriarca, já na Presidência da CDU. Os que esperavam que ela ficaria parada se equivocaram. O escândalo das contas secretas respingou em Schaeuble e ela teve uma atitude inesperada: publicou um artigo no conservador Frankfurter Allgemeine Zeitung em que declarava sua emancipação de Kohl.

Schaeuble estava acabado, a relação com Kohl se rompeu e ela assumiu a Presidência da CDU, em 2000. Era a primeira mulher à frente de um partido que até então só conhecia patriarcas.
Mas as adversidades não a desanimaram. Merkel recebeu com um sorriso o que pareceu sua grande derrota: em 2002, o bávaro Edmund Stoiber se apresentou como candidato à Chancelaria, por considerar-se mais apto para derrubar Schröder. O que não aconteceu.

Angela Merkel também não tem filhos com Joachim Sauer, divorciado e pai de dois rapazes, com os quais ela mantém uma relação cordial.

Sem o mesmo alarde feito pelo Brasil, Angela Merkel é a primeira mulher a assumir o cargo de chanceler alemã, além de ser a primeira militante com história política na Alemanha Oriental a assumir um alto cargo no governo alemão - o principal cargo, diga-se de passagem, se considerarmos que na Alemanha o Primeiro-Ministro tem mais poderes que o próprio presidente da República. Considerada conservadora pelos políticos alemães, Angela mostra uma capacidade incrível de lidar com os bastidores da política, conseguindo apaziguar ânimos raivosos entre todos os partidos alemães, inclusive dentro de seu próprio partido, o UDC - Partido Cristão Democrático, que vive de tensões entre católicos e protestantes que disputam espaço político.

Politicamente, Angela Merkel tem tudo o que um político não deve ter: não tem o menor carisma, nem sempre tem respostas para tudo e usa seu sorriso malfeito para disfarçar uma timidez enorme. Mas mesmo assim a mulher mais poderosa do mundo atual vem mostrando que sabe o cargo que tem, a importância que tem e que sabe o que fazer.

Bem, essa foi minha análise de Angela Merkel, uma mulher que, ao meu ver, tem competência o suficiente para dominar o mundo. Agradeço ao Wesley Talaveira pelo convite para participar da Semana Mulheres com Novas Ideias aqui no blog.


Liesel Hoffmann, 25 anos, é jornalista e mora em Berlim. Alemã de Hamburgo, cresceu no Brasil e retornou ao seu país em 2009.


Twitter: twitter.com/lieselhoffmann
Facebook: facebook.com/lieselhoffmann

Sim, nós podemos dominar o mundo!

Michelle Obama, Primeira-Dama dos EUA


Por Jannah Oliveira

Mulher. Palavra tão simples, mas cheia de ramificações tão complexas.

Sabe-se lá de onde veio de fato. Se da costela de Adão, ou se foi somente mais um ser que ultrapassou as teorias da Evolução e Seleção Natural de Darwin. E este ser continua a resistir com o passar dos séculos. E como resiste!

Desde a pré-história, quando na falta ou na perda de seu macho, ela tinha que enfrentar as feras de um mundo ainda tão desconhecido para alimentar suas crias que esperavam na caverna; na História Antiga, quando cultuada em sua feminilidade e beleza entre os deuses do Olimpo, ainda assim teve importância na evolução do pensamento filosófico e em outros ramos como a matemática; no período do Cristianismo, com mulheres que deram à luz homens que fizeram diferença na história; ainda em Roma, quando em torno dela foram estabelecidas a gravitas, a pietas e a simplicitas, virtudes essas que ainda persistem como características das mulheres "virtuosas"; na Idade Média, quando ela começou lentamente a conquistar o direito nas profissões e na propriedade dos feudos e da administração de negócios; desde a 'queima' de sutiãs, que mesmo intencional, representou um marco para a história da mulher.

Pouco a pouco, e sutilmente, a mulher foi mostrando sua cara para o mundo. Sutileza talvez, por ser uma própria característica do sexo. Na maioria das vezes ela não precisou sair correndo, matando, ou gritando. Se enveredou pelas portas que se abriam, e foi conquistando teritórios. Via de regra, pode-se pensar que a mulher substituiu funções, mas não. A visão da mulher moderna é de que ela deixou os cuidados do lar para trabalhar fora. Porém, se pararmos para pensar, ela na verdade acumulou funções. Aquelas mulheres que hoje administram multinacionais, que pilotam aviões, que fazem a segurança do país, ainda se preocupam com o filho, com o lar, com os afazeres que as esperam em casa, com ficar bonita para alguém.Uma característica genética: conseguimos fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Coisas de mulher...

A mulher está em toda parte. Hoje temos mulheres governando grandes nações: Angela Merkel, primeira mulher chanceler alemã e principal voz na economia europeia; Dilma Roussef, primeira mulher eleita a posto de chefe de Estado e de Governo em toda a história do Brasil; Michelle Obama, esposa de um dos homens mais influentes no mundo atualmente e destaque por ter conquistado o posto de primeiro presidente negro dos Estados Unidos; entre muitas outras. Elas estão sim dominando o mundo, sutilmente. Talvez daqui a alguns anos não nos impressionemos mais com essa figura da mulher poderosa, tão comum ela tenha se tornado. Devagar a mulher está galgando um lugar que, acredito eu, seja todo seu de fato e de direito.

Ainda estabanada, ainda confusa, mesmo com uma imagem de guerreira forte e destemida, ainda precisa de carinho, ainda gosta de se sentir 'mulher'. Sim, porque mulher é um sentimento. E só nós sabemos como é.

Tenho 19 anos, alguns dizem que sou precoce, outros que sou à frente do meu tempo. Meu 'grito' de liberdade foi aos 16 anos, quando passei a morar sozinha numa cidade do interior do Maranhão. Aos 17 já estava morando junto com uma pessoa que tinha conhecido a muito menos de um mês (e com quem estou até hoje) em outro Estado totalmente desconhecido por mim, fazendo faculdade e marcando meu território. Desde muito pequena sempre tive minhas ambições e minha personalidade. Ainda me lembro como se fosse hoje, quando tinha 5 anos e o modo como enxergava o mundo. Hoje esse mundo se tornou MUITO maior, e eu quero cada vez mais abraçá-lo e explorá-lo. Assim como as muitas mulheres que escreveram seus nomes na história desse mesmo mundo, eu estou correndo atrás de uma caneta permanente para juntar meu nome ao delas. Estou agarrada a essa corrente. Eu quero dominar o meu mundo, e o nosso mundo.


Jannah Oliveira é maranhense e escreve no blog Toxic Girl
Facebook: Jannah Oliver

Jeito (maravilhoso) de ser Mulher #Mulheres2012


Por Herlene Santos


Mulher é contradição.
É dizer sim...
Querendo dizer não.
É falar o que está engasgado.
É sofrer...
Sem mesmo ter superado.
É viver em guerra...
Contra si mesma e contra o mundo.
É querer viver intensamente...
Cada segundo.
É morrer por amor...
Sem nem ao menos medir a dor.
É chorar um mar inteiro.
É saber que pode ser feliz
Sem aquele que imaginou ser o amor ‘certeiro’.
Ser mulher é correr atrás do que deseja...
É abraçar o céu e sentir gosto de cereja.
Ser mulher é tudo isso
E mais um pouco...
É existir esperando qualquer imprevisto.



Herlene Santos, cearense, é estudante de jornalismo e mantém o blog Descomplicando

Facebook: Herlene Santos
Blog descomplicando: http://ahoradevirarborboleta.blogspot.com/

Um pouquinho sobre a história do dia 08 de março #Mulheres2012

Louisse Otto
Por Rosângela Cianci


No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data
Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.


Conquistas das Mulheres Brasileiras
Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.


Marcos das Conquistas das Mulheres na História

- 1788 - o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.
- 1840 - Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.
- 1859 - surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.
- 1862 - durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.
- 1865 - na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.
- 1866 - No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas
- 1869 - é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres
- 1870 - Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.
- 1874 - criada no Japão a primeira escola normal para moças
- 1878 - criada na Rússia uma Universidade Feminina
- 1901 - o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres


Rosângela Cianci, mineira, é jornalista formada pela UNISA - Universidade de Santo Amaro e apresenta o programa Informe-se na TV Unisa / CNU. É também colunista da revista Classe A e mantém o blog Emporium de Ideias.

Blog Emporium de Ideias: http://emporiumdeideias.blogspot.com/

Kyra: o lado delicado dos Gracie #Mulheres2012


Por Larissa Oliveira


Quem acompanha um pouco mais o Jiu-Jitsu, ou até quem não se liga muito nesse assunto, com certeza já ouviu falar na numerosa família Gracie, que colocou o Brasil na liderança mundial das artes marciais. E o nome dos Gracie que vem fazendo sucesso atualmente não é nenhum homem forte, musculoso e de porte assustador. É uma mulher, e não uma mulher musculosa, alterada e quase deformada de tantos anabolizantes: é uma garota de 26 anos, aspecto frágil e voz delicada: Kyra Gracie.

Pentacampeã mundial de Jiu-Jitsu, Kyra nasceu no Rio de Janeiro e na infância foi desacreditada, já que veio de uma família de tradição machista que achava que a luta não era "coisa para mulheres". Mas Kyra cresceu e tomou gosto pela luta, e aos 11 anos já treinava com seu kimono, e aos 20 participou pela primeira vez de uma luta oficial. inscrita por engano numa luta para pesos diferentes do seu peso na época, enfrentou pessoas muito mais altas e fortes que ela, e para surpresa da família venceu. E desde então vem vencendo e mostrando que as mulheres também tem vez nas artes marciais. Pelo menos na família Gracie.

Kyra também é adepta da famosa dieta dos Gracie: nunca provou carne de porco nem batata frita na vida e passou mal na única vez em que provou sorvete. Já para compensar tomava açaí desde muito pequena, ainda na mamadeira, e sua refeição preferida é a tapioca (argh!). Bom, não é à toa que ela tem aquele corpo maravilhoso. E além do corpo, vale lembrar a força física que ela tem, disfarçada no aspecto frágil.

Kyra é uma prova de uma pessoa que rompeu paradigmas em sua área: mostrou que mulheres também podem lutar sem perder sua feminilidade. Continua linda, sexy e forte como nunca. Por isso acho que ela é um bom nome para dominar o mundo, pelo menos o mundo do Jiu-Jitsu. Aliás, ela já domina: é a única mulher do mundo que nunca perdeu uma luta com pessoas de seu próprio peso e é um nome temido entre outras lutadoras ao redor do mundo.

Obrigado ao Wesley pelo convite para participar da semana especial aqui no blog, e desejo a todas nós uma boa semana da Mulher!


Larissa Oliveira, 22 anos, é estudante de direito. Já escreveu no Blog Novas Ideias. É filiada ao PSDB e é membro da Juventude da Social Democracia do partido.


Twitter: twitter.com/laroliver

Eu dominei meu mundo #Mulheres2012

E abrindo a Semana especial Mulheres com Novas Ideias temos a cantora Lara Rossato:



Por Lara Rossato


Meu texto começa falando de 2005, desde que cheguei em Pelotas-RS com 17 anos e não conhecia quase ninguém. Para ir ao supermercado tinha que abordar alguém na rua e perguntar qual direção seguir. A distância da família me fez sofrer muito, pois mesmo que eu seja desapegada de objetos e de pessoas, eu me sentia desprotegida, não sabia pra onde correr se algo me acontecesse.

Como sou da zona rural de uma cidade do interior tudo em Pelotas parecia de outro mundo. Só a ideia de pegar um ônibus e atravessar a cidade era um desafio para mim, pois em Dom Pedrito, minha cidade natal, em 20 minutos de caminhada eu fazia isso. Pouco a pouco fui fazendo amigos, fazendo mil e uma bandas e compondo músicas sem sentido. Eu observava as bandas que figuravam na cena da cidade e me sentia distante de todas elas, de todo esse reconhecimento.

Fiz cursinhos pré-vestibular como qualquer adolescente que queria entrar na universidade, fiz festinhas com os amigos do cursinho e vivi um ou dois anos sem muito me exigir, mas sempre ensaiando em garagens como já fazia em Dom Pedrito e tocando em pequenos shows. Foi no ano de 2007 que entrei na universidade para cursar Biologia e fiz uma banda que teve uma boa visiblidade em Pelotas pois abrimos alguns shows de bandas conhecidas e eu gravei com eles algumas composições, fizemos um disco que nunca saiu pois logo na finalização do mesmo um desentendimento fez a banda acabar. E eu acabei junto com ela, pois havia posto todas minhas forças, minha esperança e estava certa que dessa vez ia dar certo. Chorei muito por um mês, me perguntando porque tinha que ser assim.

Então com o passar do tempo essa experiência foi uma das coisas mais maravilhosas da minha vida, pois foi dai que eu pude entender a expressão “há males que vem para o bem” e perceber a força que eu tinha dentro de mim para seguir a diante. Logo depois dessa tempestade toda eu viajei com amigos, nessa viagem eu compus uma música chamada “maior amigo, melhor amor” e voltei determinada a seguir com tudo, pois não havia deixado minha família, minha casa em vão. Eu recrutei amigos e fomos para o estúdio. Em um ano compus e gravei músicas para meu primeiro disco solo.

Fui muito determinada e passei por cima de todas as dificuldades que tive, com a ajuda de amigos cada vez mais estava metendo a cara e divulgando as minhas músicas na internet e fazendo shows em Pelotas. O meu disco foi muito bem aceito, teve ótimas críticas, levando em conta que foi gravado com pouco recurso financeiro em um “home studio”. Posso dizer que consegui muitos admirados de meu trabalho e cada dia aumentam mais, porque o que faço, faço por amor, pois acredito que nasci para fazer isso. Consegui aí aprender a diferença entre fama e sucesso, pois eu tive muito sucesso ao gravar e vender meu disco, digo isso porque vendi as poucas cópias que fiz. Dentro do tamanho dessa possibilidade, eu aproveitei toda ela.

Hoje figuro na cena musical da cidade de Pelotas, sou amiga de todos aquelas bandas e cantores que já eram conhecidos quando cheguei aqui como apenas uma adolescente totalmente sem rumo. Mas eu me dei um rumo, tirei proveito dos problemas e aprendi muito, sigo aprendendo cada a cada dia. Me conheci melhor, pude definir claramente minhas metas. Entendi que tudo tem seu tempo, embora eu seja meio apressada. Entendi que sou uma pessoa difícil de trabalhar porque sou muito exigente, afinal devo repetir que deixei tudo o que amo e que tenho para trás, para seguir esse sonho e não admito erros pois não estou escrevendo minha carreira à lápis.

Finalizando então e respondendo ao tema dessa Semana especial: eu não sei se todas as mulheres vão dominar o mundo, mas eu dominei o meu.


Lara Rossato, gaúcha de Dom Pedrito, é cantora. Gravou, em 2011, seu primeiro CD solo, Doce




Facebook: facebook.com/lsrossato
Site oficial: lararossato.com

Mulheres com Novas Ideias 2012 #Mulheres2012



Chegou mais uma vez o mês de março, tradicionalmente conhecido como o "mês da mulher", e com ele chegou também a terceira edição da nossa Semana Especial Mulheres com Novas Ideias, já conhecida dos nossos leitores. Pelo terceiro ano consecutivo (veja aqui a edição de 2010 e aqui a edição de 2011) nosso blog reserva uma semana especial no mês de março para abrir espaço a blogueiras convidadas, para que elas possam dar sua visão de mundo e opinião sobre assuntos diversos.

Pela primeira vez nossa semana especial tem um tema específico: "As mulheres vão dominar o mundo?" e cada convidada recebeu a missão de falar sobre a importância e a força feminina no mundo atual, seja falando sobre alguma mulher específica, ou de algum assunto mais amplo, ou até mesmo falando de si mesma. Entre as blogueiras convidadas desse ano temos a jornalista alemã Liesel Hoffmann, que participa mais uma vez aqui da Semana especial; a estudante de Direito Larissa Oliveira, a cantora Lara Rossato, a jornalista Rosângela Cianci, entre outras convidadas. A partir de amanhã, 08 de março, acompanhe nossas postagens especiais! Tem muita coisa boa para acontecer durante esses dias.

Todos os textos da Semana Especial estarão identificados com a hashtag #Mulheres2012. Acompanhe!!!