Candace vai morrer!

Candace voltava para casa depois de um dia bastante agradável com suas amigas. Dirigia seu conversível novo pela estrada estreita totalmente escura da noite sem lua enquanto ouvia "Epitáfio", com Titãs. Cantava alegremente "o acaso vai me proteger" quando percebeu que o carro ganhava muita velocidade e tentou usar o freio, cautelosa que era, mas não notou qualquer alteração na velocidade. O carro não obedeceu sua ordem e continuou a correr, cada vez mais rápido. Candace sentiu um fio de preocupação lhe correr a alma.

Sem entender como, o carro de Candace alcançou incríveis 200km/h, mesmo depois de a moça ter tirado o pé do acelerador. O freio não respondia seu comando, era como se fosse apenas uma alavanca comum sem utilidade. Candace tinha tentado até mesmo desligar o carro, para que ele perdesse velocidade e parasse em algum momento, mas misteriosamente o carro não desligava. Continuava a correr descontroladamente.

A noite a assustava. Não era possível ver nada ao redor, já que a única luz do local era a do seu carro. Não sabia se nas marginais havia um precipício, montanhas ou terra plana. Candace se convenceu de que algo muito estranho estava acontecendo: seu carro ganhara vida própria, e corria como se tentasse matar sua motorista.

Quando olhou para o lado, viu por um curto espaço de tempo, uma figura que ela não soube distinguir se era humana, sentada no banco do carona. Uma capa preta envolvia todo o corpo e rosto daquele ser, e deixava à vista apenas os olhos enormes que miravam Candace. Disse com voz grave: "você vai morrer". Ao olhar novamente Candace não viu mais nada, apenas o banco vazio de seu carro.

Os cabelos de Candace balançavam descontroladamente. Candace começou a gritar, chorar e buzinar desesperadamente, mas não havia ninguém ali para lhe socorrer, e mesmo que houvesse, parecia ser impossível fazer algo que a tirasse daquela situação. Mais uma vez ouviu a voz, agora sem ver nada: "você vai morrer".

Foi quando ela ouviu um barulho vindo ao longo, e viu uma luz distante vindo na direção contrária ao seu carro. Pelo som identificou ser um caminhão. Um caminhão enorme vinha em sua direção, e a estrada estreita eliminava qualquer possibilidade de desvio. Candace sabia que iria bater o carro naquele caminhão. Pensou apenas em seu marido, que ela já não lembrava mais onde estava. Quando o caminhão se aproximou, Candace apenas fechou os olhos com as mãos espalmadas sobre o rosto e deu um grito. Viu a luz do farol se aproximar de seu pequeno carro, que continuava a correr em direção à morte. Não prestou atenção no som descontrolado da buzina do pobre caminhoneiro, que talvez estivesse tentando avisar a mocinha do carro da frente que ele não teria tempo de frear e que ela iria bater. A luz ficou mais forte, mais forte. O carro de Candace batera de frente com o caminhao enorme, causando uma explosão ensurdecedora, e um incêndio instantâneo.

Ao sentir o impacto da batida, Candace acordou desesperada na cama de sua casa. Seu marido, que também também havia acordado assustado com o grito que a esposa dera, perguntou o que havia acontecido e apenas a acalmava, apoiando-a sobre seu corpo e acariciando seus cabelos. Candace percebeu que tudo não havia passado de um sonho. Ou melhor: um pesadelo.

Levantou-se para tomar um copo de água, esperou que sua respiração acalmasse e voltou a dormir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com