A Falta que Me Faz


Como havia ganhado ingresso pelo Catraca Livre para ir ao Belas Artes, na Consolação, ontem fui ao cinema com a intenção de ver o filme francês Medos Privados em Lugares Públicos, mas tive compromissos de manhã e cheguei atrasado ao cinema. Então resolvi assistir ao documentário A Falta que Me Faz, que era o que seria exibido no momento em que cheguei ao cinema, mesmo sem ter lido nada sobre o filme nem visto trailler, nada.

A Falta que Me Faz é um documentário nacional, produção independente de Marília Rocha e Teia Filmes. Filmado no interior de Minas Gerais, o filme mostra a vida de cinco jovens: Alessandra, Priscila, Valdênia, Shirlene e Paloma, jovens sem qualquer perspectiva de vida, que são obrigadas a viver em situação precária, na pobreza, e ainda enfrentam a gravidez sem nenhum planejamento, além de sonharem com um amor que provavelmente nunca viverão. Assim como alguns filmes franceses, o filme não tem uma história específica, com começo, meio e fim; mostra a rotina, um trecho da vida das garotas moradoras do garimpo mineiro.

Não espere em A Falta que Me Faz um filme comecial, do tipo que a Globo exibiria no Tela Quente, nem um desses documentários com gente emocionada contando histórias de superação. Muito pelo contrário, o filme retrata exatamente a vida de garotas que não tem a menor chance de superar a pobreza. Percebe-se no filme um cuidado e delicadeza muito grandes da produtora Marília Rocha em retratar fielmente a vida dessas garotas, sem maquiar ou esconder nada. Chama a atenção a sensibilidade apurada na maneira de filmar. Mais interessante ainda é ver como as garotas ficam à vontade com a câmera, talvez por causa da empatia que criaram com a produtora do filme. Uma delas chega até a convidar a produtora para ser madrinha do bebê que vai nascer. De início o filme causa até uma estranheza (ou talvez repulsa), pelas cenas longas dos bailes de forró rala-coxa (eu que não gosto nem um pouco desse tipo de forró, me incomodei muito com as cenas... haha), e a realidade com que o dia a dia delas é tratado. Mas ao conhecer a proposta do filme, ele se torna muito interessante. Provavelmente, ao assistir A Falta que Me Faz, você conhecerá um Brasil que talvez nem imaginava que existia.

Veja o trailler:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com