Eu depressivo


Se para você uma pessoa depressiva é aquela que reclama de tudo, é o "dramático", ou ainda se for homem é o "viado", por favor, saia desse blog e vá ler o site do Pânico na TV.

Todo mundo, em algum momento da vida, ja se sentiu depressivo. Cerca de 20% da população mundial sofre do tal transtorno que pode complicar e muito a vida de qualquer pessoa. Ela não escolhe origem, raça, sexo, religião, mas a forma como é tratada varia e muito, e o apoio ou preconceito pode agravar a situação.

Comecei a sentir os sintomas da depressão há um bom tempo. Pra ser exato há uns 3 anos, desde que desenvolvi psoríase (doença autoimune com manifestação na pele; depois explico como é). Separei aqui alguns deles, só os que eu realmente tenho, às vezes ou sempre:

-Ansiedade
-Afastamento de amigos ou pessoas
-Vontade de chorar ou chora às escondidas.
-Vontade de ficar só. Afasta-se de tudo e todos.
-Querer música ou barulhos em altos berros (pois é uma forma de se alhear e afastar do que se passa à sua volta)
-Sentimento de tristeza persistente
-Problemas de auto-confiança e auto-estima
-Sentimento de tristeza e abatimento sem conseguir encontrar algo que anime ou que consiga despertar interesse.
-Dificuldade de concentração e de tomar decisões
-Sentimentos de culpa, desesperança, desamparo, solidão, ansiedade ou inutilidade
-Medo de executar determinada tarefa; ou medo do que possa acontecer se falhar. Vive obcecada com a sua incapacidade ou com o que possa acontecer a outrem se ela falhar.
-Isolamento: evitar outras pessoas.
-Pensamentos de suicídio e morte
-Acessos de choro
-Possíveis mudanças comportamentais como agressão ou irritabilidade
-Medo ou sensação de ser ou estar sendo abandonado


Resumindo: estar deprimido é "sentir-se um zé-ninguém". Não sabe como é se sentir assim? Agradeça a Deus por isso. Você se sente a pessoa mais insignificante e inútil do mundo, e os papos de que "você pode sim, você tem capacidade" não resolvem muito. Outros fatores contribuíram para que eu ficasse assim, apesar de alguns deles já terem sido superados.

Tomo remedio? Não, não precisei. Tomei por 3 meses 10mg de Fluoxetina, mas apenas para acalmar o snervos e ajudar no tratamento da psoríase. O que precisei (e preciso) é apenas um bom diálogo, e o principal: se sentir importante pra alguém. Saber que pelo menos UMA pessoa nesse mundo se importa com você. E nesse caso a opinião da mãe nem sempre ajuda: mãe sempre vai te ver como o melhor do mundo.

Não tem nada melhor no mundo do que ouvir palavras como "senti sua falta", "estava preocupado com você", "Você está bem?", "gosto de você". Saber que tem gente que pensa em você enquanto está longe. Isso é melhor que qualquer antidepressivo, e melhor que qualquer terapia milionária.

Ando numa fase meio alone. Poucos amigos, ausência de companhia, sem telefones pra ligar quando tem uma boa notícia. E nisso a internet tem sido minha parceira. Através dela tenho encontrado gente simplesmente maravilhosa. Ouvir um "eu te amo" de uma amiga é algo tão confortante que me faz sorrir. Ou ser cumprimentado com um "oi, querido" faz o dia ficar melhor. Parece besteira? Não pra quem anda "deprê", como eu.

Vai ver a depressão tem seu lado positivo. Faz a gente valorizar mais os relacionamentos, fidelizar pessoas, desejar ter gente legal por perto. Coisa que gente "normal" às vezes ignora.

Vai saber!

3 comentários:

  1. Não sabia que tuh tinha um blog só seu... o.o
    Que legal! xD
    E como eu me identifiquei com esse post... Dels!

    Passei por uma fase duríssima, quando fui largada pela pessoa 'que eu mais amava' no mundo, e depois disso me descobri gay. (é descobri só depois de ter um relacionamento... Vai entender. Tenso.)

    Cheguei a tentar "fazer caquinha" com minha vida... But, ainda bem, não deu certo... O que me levou a ficar pior ainda: "poxa! nem pra acabar comigo mesmo eu sirvo?".. Me machucava propositalmente as vezes, por conta daquela história... Fazer doer por fora, pra amenizar oq dói por dentro...

    Tomei Fluoxetina tb... Mas não acreditava que meu problema fosse físico, "estava doente da alma"...

    E foi ae que.. Encontrei um amigo! :)
    A gente conversou... Ele estava quase na mesma situação que eu, chutado, saindo do armário..
    E decidimos que juntos, iríamos sair dessa! Começamos a sair, conhecer pessoas novas, eu consegui outro emprego, outras paixões, sai de uma facul paga pra um federal... E tudo se normalizou... Isso já fazem dois anos!!
    Estamos bem felizinhos, eu e esse meu amigo...
    As vezes me bate uma bad, mas bem de vez em quando... Normal...

    ...Mas uma coisa ficou. Exatamente o que você disse. Aprendi a valorizar as relações humanas, a dar valor a pequenos detalhes, pequenos gestos, palavras...

    ...A vida é uma baile. Cabe a você decidir se vai ficar sentadinho na mesa só batendo o pézinho, ou vai levantar e aproveitar a música! ;D

    ResponderExcluir
  2. Poxa, ainda bem que vc conseguiu se achar. Eu sei bem o que é ter a sensação de estar só no mundo. Como diz um amigo meu, "sozinho na multidão"...

    Às vezes ainda tenho umas "crises existenciais", mas estou aprendendo a contorná-las.

    Gde beio. Ah, passei a te seguir no Twitter! rs

    ResponderExcluir
  3. Olá Weslley,
    Conheci vc pelo Insoonia, e adoro seus posts lá e também sua interação com seus leitores. Eu confesso que ultimamente também ando meio na depre ... mas tento fazer coisas que me ressucitem (me sinto morta as vezes). Meus principais sintomas são a vontade de chorar e principalmente de morrer. Penso que são tantas pessoas felizes que morrem todos os dias, porque eu, infeliz, continuo no mundo...
    Tenho uma família linda (marido e dois filhos), um bom empredo (efetiva na prefeitura), casa própria, enfim, uma vida considerada estável, mas, infelizmente, me falta o principal ... a felicidade.
    Fico um pouco mais aliviada em sabeer que não sou apenas eu a ter esse tipo de problema.

    Quero te mandar um grande beijo e espero acompanhar sempr suas postagem. Te desejo muito sucesso. Bjsssssss

    ResponderExcluir

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com