Só depois da desgraça...

Não acredito na bondade do ser humano. Penso que todos nascemos maus e, ao longo da vida, desenvolvemos a bondade em nós ou aperfeiçoamos a maldade.

Certas bondades me causam receio. Bondades como a que estamos vendo em toda a parte do mundo com o Haiti. Sim, está sendo maravilhoso ver equipes de resgate de todo o mundo lutando e arriscando muitas vezes a própria vida para salvar pessoas num país até hoje ignorado.



Mas é exatamente aí que quero tocar. O Haiti foi, até hoje, um país total e completamente ignorado pelo mundo, assim como são ainda os territórios imundos da África. Haiti era a "toca de ratos" do planeta, o lugar que ninguém sequer citava. Mas a miséria e a drsgraça sempre fizeram parte da rotina dos haitianos, desde os tempos recentes de colônia da França, que usou e abusou da pequena península até não poder mais, quando simplesmente os abandonou à própria sorte. O Haiti já sofreu com ditaduras crueis, governos corruptos e com a miséria, em um país onde 60% da economia local é composta de doações internacionais, Ou seja, o Haiti é um país que vive de esmolas, do que sobra dos outros países.



E como diz o ditado, não há nada tão ruim que não possa piorar. Isso é uma constante no Haiti, e ficou provado com o imenso terremoto que o país sofreu no dia 12 de janeiro. Já estimam-se 200 mil mortos, além da capital do país, Porto Príncipe, estar quase totalmente destruída. Cerca de 70% dos prédios da capital viraram entulho, inclusive a sede da ONU no país e a sede do Governo Haitiano. Para quem já vive na miséria, mais uma desgraça para arrasar com a vida dos que sobreviveram.







Sim, as cenas são de chorar. A reportagem de Lília Teles no Jornal Nacional que mostrou o exato momento em que uma mulher grávida foi encontrada viva sob os escombros, depois de três dias debaixo de entulho sem água nem comida trazem lágrimas aos olhos de qualquer um. Sem falar nas pessoas que se digladiam na rua por uma garrafa de água, ou uma bandeja de comida. O que nós costumamos jogar pela lixeira e tratamos como sobras do almoço, os haitianos desejariam a todo custo, nesse momento.

Minha pergunta é: porque essa ajuda não veio antes? Poque só depois da desgraça o mundo resolveu ajudar o país? Lógico que a ajuda é válida, e ainda será pouco face ao desafio que os haitianos enfrentarão daqui pra frente. Será que se esse dinheiro tivesse vindo antes não teria sido possível planejar melhor o país que já está em uma região de perigo iminente de terremoto, já que sempre se soube que o Haiti está exatamente em cima do limite entre as placas do Caribe e as placas norte-americanas?

Agor o mundo se mobiliza para ajudar o Haiti. Lula prometeu US$ 15 milhões para lá, enquanto milhares de brasileiros morrem em filas de hospitais debaixo do nosso nariz. Mas acho que o pior foi ver o Lula dizendo que o terremoto foi uma injustiça. Injustiça de quem? Talvez de Deus, né presidente?




Agora todo mundo que queira ter sua imagem valorizada vai levantar fundos para o Haiti. Sim, independente da motivação, para os haitianos o que vale no momento é o que eles receberão de apoio. Mas encerro com duas perguntas: 1) Esse apoio continuará ao longo dos anos, já que o Haiti precisa de apoio para sua segurança, combatendo as pequenas guerrs civis que pipocam no país todos os dias? 2) O resto do mundo vai continuar na miséria? Talvez sim, ou qté que um terremoto arrase com outra parte do mundo.

Faço minhas as palavras de Castro ALves:
Senhor Deus dos desgraçados!
Dizei-me vós, Senhor Deus!
Se é loucura... se é verdade
Tanto horror perante os céus?!

(Navio Negreiro)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com