Espero que logo passe

Hoje acordei com vontade de mudar o mundo.

Fiquei com vontade de pensar em medidas que beneficiariam os menos favorecidos, ao mesmo tempo que que os faria ver que não são coitadinhos, que tem a mesma chance que outros.

Pensei em fazer algo para diminuir a poluição do planeta, como coleta seletiva do lixo, como descarte de pilhas e baterias em escolas públicas, em parceria com cooperativas.

Pensei em medidas de saúde pública e prevenção de gravidez indesejada, como palestras com amigos farmacêuticos em escolas públicas sobre primeiros socorros, DTS, métodos contraceptivos, e até mesmo distribuição de camisinhas em escolas, em parceria com os postos de saúde da região, ou quem sabé distribuir até anticincepcionais, tudo isso para evitar que meninas jovens sejam mães precocemente sem nenhum prepraro psicológicoe financeiro pra isso.

Ou quem sabe palestras sobre primeiro emprego, como se portar em entrevista, como agir corretamente, boas maneiras (é, elas não aprendem isso em casa).

Fiquei com vontade de entrar na política para representar a cidade como um todo, não apenas os menos ou os mais favorecidos. Queria poder resolver os problemas de habitação, principalmente dos que vivem em situação de emergência, em barrancos ou favelas, dando não apenas um mísero cheque-despejo, mas criando um serviço de habitação provisória, até que a pessoa consiga se virar com seu "cheque". Ou talvez pensar na reurbanização e repovoamento do centro da cidade, já que há 420 mil imóveis abandonados no centro, o que seria o dobro do suficiente pra resolver o problema de falta de habitação de SP. Repovoando o centro poderíamos esvaziar as favelas da capital, diminuir as distâncias casa X trabalho, incentiváriamos o comércio na região central, além fazer com que os paulistanos tenham mais contatos com a história e SP, tão presente no centro.

Fiquei com vontade de fazer com que as pessoas não tenham tanto stress durante o dia, tornando o dia a dia (tem hífen ou não?) delas mais agradável, como por exemplo humoristas nos faróis, abraçar todo mundo nos grandes polos comerciais da capital.

Se eu pudesse, pensaria num programa de distribuição de renda na cidade, mas não como o Bolsa-Família, com objetivos unicamente eleitorais, mas em um sistema onde os beneficiados teriam que prestar conta todos os meses de sua condição de emprego, e onde receberiam formação profissional pra qualquer área, para assim voltar ao mercado de trabalho. Além disso, o programa incentivaria jovens em idade escolar a não faltar na escola, e premiar os que tem boas notas escolares, com presentes - e não dinheiro - exclusivamente para as crianças.

Acordei com vontade de mudar o mundo mas, como sei que isso é impossível, espero que passe logo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade para comentar, acrescentar ou discordar de algo. Mas lembre-se que que escrevo aqui reflete apenas a MINHA opinião, e essa opinião pode nem sempre ser a mais ideal.

Caso tenha dificuldade de escrever por aqui (o Blogger sempre gosta de dificultar as coisas) envie email para weslleytalaveira@blognovasideias.com